Encontro em Alfenas discute crise hídrica na região dos Lagos

Publicado em 18 de setembro de 2021

Aconteceu nesta sexta-feira, (17/09), no Alfenas Tênis Clube, encontro com deputados, prefeitos, lideranças da região, autoridades da Frente Mineira de Prefeitos (FMP), representada pelo presidente e prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, Alago – Associação dos Municípios do Lago de Furnas, e AMEG – Associação Mineira dos Municípios do Médio Rio Grande, Presidente da ALM – Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Agostinho Patrus (PV), e representando o município de Alfenas, o prefeito Luiz Antonio da Silva (Luizinho) para discutir a cota 762 e a crise hídrica na região dos lagos de Furnas. Também participaram do encontro os presidentes de Furnas, Clóvis Torres, e da Eletrobrás, Rodrigo Limp, e do assessor jurídico da presidência do Senado, Antonio Silveira.

O prefeito Luiz Antonio da Silva (Luizinho), apresentou várias reivindicações ligadas ao desenvolvimento sustentável do entorno do Lago de Furnas, e entre elas; está a mudança no decreto que instituiu Furnas, disse: -. “Mostrei os prejuízos que nossa região teve com o alagamento das terras férteis e propostas para manter o nível da água e dinamizar o turismo”. Ainda segundo ele, a finalidade da represa é a geração de energia elétrica, mas os prefeitos da região pedem ainda que seja incluso o uso múltiplo da água, para garantir também as atividades econômicas, como a psicultura e o turismo. “Em luta pelo uso múltiplo das águas de Furnas, somente a cota 762, que garante o nível do Lago de Furnas com 762 metros acima do nível do mar, é possível manter todas as atividades econômicas em toda a extensão de seu reservatório”, acrescentou. E, hoje, de acordo com a ONS – Operador Nacional do Sistema, o nível se encontra oito metros abaixo do nível mínimo.

PEC – PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO

A proposta defendida e discutida durante o encontro e apresentada pelo presidente da FMP, Alexandre Kalil, a crise hídrica na região do sul do Estado de Minas, seria através de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de nº 52/20, que prevê a cota mínima de 762 metros para o Lago de Furnas. Alexandre Kalil (PSD), anunciou para a próxima segunda-feira, um encontro com a ministra do STF (Supremo Tribunal Federal) Carmen Lúcia. A ministra é a relatora da ação direta de inconstitucionalidade (Adin) que pede a suspensão da Emenda Constitucional nº 106 (EC 106/2020).

Promulgada em dezembro de 2020, a emenda à Constituição Estadual, prevê o tombamento dos Lagos de Furnas e Peixoto, garantindo o uso múltiplo dos reservatórios e a manutenção das cotas mínimas 762 e 633 metros acima do mar, respectivamente, para Furnas e Peixoto.

COTA 762

Desde sua criação, a Alago vem lutando pela cota 762 metros acima do nível do mar, sempre com o apoio de prefeitos, órgãos estaduais e federais, senadores, deputados, universidades e associações da sociedade civil. O lago de Furnas vem sofrendo constantes esvaziamentos há anos, tendo passado por grave crise hídrica entre 1999 e 2002. Desde 2014, o reservatório não se recupera adequadamente, o que impacta negativamente o turismo e dezenas de empreendimentos já encerraram suas atividades, ocasionando o desemprego e atingindo em cheio todas as cidades que margeiam o lago, provocando sérios problemas econômicos.

LAGO DE FURNAS – O Verdadeiro Mar de Minas

O reservatório, um dos mais maiores do Brasil, com 1.440 km2 e 3.500 Km de perímetro, que banha 34 municípios de Minas Gerais. Conhecida como o Mar de Minas de água doce e sua área equivale a seis baías de Guanabara. Esse mar mudou a geografia e a economia de diversas cidades mineiras entre elas; Aguanil, Alfenas, Alpinópolis, Alterosa, Areado, Boa Esperança, Cabo Verde, Camacho, Campo Belo, Campo do Meio, Campos Gerais, Cana Verde, Candeias, Carmo do Rio Claro,Capitólio, Coqueiral, Cristais, Divisa Nova, Elói Mendes, Fama, Formiga, Guapé, Ilicínea, Itapecerica, Lavras, Nepomuceno, Paraguaçu, Perdões, Pimenta, Ribeirão Vermelho, São João Batista do Glória, São José da Barra, Três Pontas e Varginha.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!